Destralhar é preciso

Final do ano está se aproximando e como ele a necessidade de sentirmos que nossa vida está sendo renovada, não é? É nessa época que a maioria das pessoas começa a arrumar os armários, avaliar o que não usa mais, doa algumas coisas, vende outras…

Mas, e se nós começássemos a destralhar a nova vida como um todo (não só o que guardamos no armário) e o ano todo? E se destralhar virasse um hábito? Afinal, destralhar é preciso, minha gente.

“Ana, mas me explica, o que é esse tal de destralhar?”

Destralhar nada mais é do que se livrar daquilo que não nos é útil, necessário e/ou que não nos faz bem. Resumindo, é praticar o desapego, fazer uma limpa, deixar só o que te serve.

Eu não sei vocês, mas uma das coisas que mais fazem eu sentir que a energia está se renovando é quando eu me desfaço de coisas que não me servem mais e estavam ali só ocupando espaço.

E quando eu falo em destralhar, não é só arrumar o armário e se desfazer de roupas que não usa mais (apesar disso ser muito útil). Mas, eu também estou falando de você destralhar a sua vida como um todo. Isto é, parar e analisar as suas tarefas, os seus compromisso e até mesmo os seus relacionamentos. É abrir espaço para coisas novas, interesses novos, atividades novas, pessoas novas que irão lhe agregar e fazer com que você chegue mais perto dos seus objetivos.

Não estou aqui falando para você se tornar interesseira e só se aproximar de pessoas que vão te dar algo em troca e esquecer as outras. Estou falando aqui de troca. Sabe aquelas pessoas tomadoras? Falei delas nesse post aqui. Então, avalie se há relacionamentos tóxicos desse tipo na sua vida. Posso te garantir que eles não devem estar te fazendo bem. Afaste-se daquelas pessoas que você sente que sugam a sua energia e não te agregam nada de bom. Se aproxime daquelas em que há troca, em que você sente que contribui de forma positiva para a vida delas e que a recíproca é verdadeira. Pessoas que fazem você ver a vida sob uma perspectiva diferente, pessoas que têm experiências interessantes, que fazem você rir, que vale a pena passar tempo ao lado, etc.

Sobre as coisas mais objetivas, como tarefas, atividades e compromissos, avalie se o que ocupa a sua agenda tem sentido para fazer você chegar aonde quer. É claro que há aquelas tarefas que são obrigatórias como lavar a louça, pagar a conta e colocar o lixo para fora. Mas, e aquela revista que você sempre fala que vai ler e, na verdade, você nem tem mais interesse por ela? E aquela pendência de ir à aula de yoga porque te falaram que faz bem, mas que você odeia e fica sempre faltando ou indo obrigada? Destralhar inclui isso também. Como eu disse, é abrir espaço para coisas novas e esse espaço não precisa ser físico. Pode ser um espaço de tempo na sua agenda ou até um espaço para que você consiga focar a sua atenção no que realmente importa.

Agora, para e pensa: do que você pode se destralhar agora mesmo?

Destralhar é preciso
Tags:             

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *