Blog - Minha história

Gente, sério, que mulher! Quanto eu mais leio e vejo coisas sobre a Michelle Obama, mais apaixonada e inspirada eu fico.

Há algum tempo, eu já tinha falado sobre o livro dela aqui. Indiquei em algum post de “Vale a pena ler” (quem não viu e quiser ver, basta clicar aqui). Dessa vez, é sobre o documentário dela no Netflix que eu vim falar sobre.

Sobre o que é

Minha história é o documentário sobre a Michelle Obama e os bastidores da sua turnê para divulgação do seu livro nos Estados Unidos. Livro este que carrega o mesmo nome do documentário. Ele está disponível no Netflix desde maio desse ano (2020, caso você esteja lendo isso daqui em outra época).

Geralmente, eu gosto de falar sobre os assuntos que são mencionados no documentário que estou indicando. Mas, sabe que eu fiquei com dificuldade para fazer isso sobre ele? Estou pensando aqui…

A Michelle fala sobre persistência, representatividade, autenticidade, sobre dificuldades de raça e de gênero, sobre sua experiência fora e dentro da Casa Branca. E fala sobre muitas outras coisas sensíveis.

O que eu achei

Minha história é um documentário bem rapidinho e gostoso de ver. Tem duração de 1h30, aproximadamente. E eu me peguei em diversos momentos rindo e me emocionando com o que era falado ali.

Eu acho a Michelle uma mulher incrível por diversos motivos, mas, principalmente, por ser uma mulher, esposa de um presidente, mas que conseguiu ter voz e não ser ofuscada e anulada por isso. Ela cita em um momento do documentário que não queria ser um acessório nos sonhos do marido. E que ela teve que ser firme para não ser engolida por isso. Se isso não é ser uma inspiração para milhares de mulheres, não sei mais o que é então.

Outro ponto que me fez ficar arrepiada (e é sério isso) é quando ela fala, em diversos momentos, sobre como é importante e crucial a forma como nós nos vemos e sobre como contamos a nossa história. Sobre como é importante a gente acreditar no nosso valor, no nosso potencial e seguir os nossos sonhos com base nisso. E não no que opiniões externas podem falar. Ela até cita a diretora que dizia que ela não era boa o suficiente para entrar numa faculdade renomada dos Estados Unidos (spoiler: ela não só entrou nessa faculdade, mas entrou para Harvard depois também).

Falando assim, não sei se está parecendo uma coisa piegas e autoajuda barata. Mas, juro, gente! Assistam o documentário e depois me falem a opinião de vocês.

Sou só eu que sou apaixonada pela Michelle por aqui?

[Vale a pena ver] Minha história

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *