A Casa do Céu – Amanda Lindhout

Essa semana, eu resolvi fazer algo de diferente (tipo Luisa Marilac). O Vale a Leitura é bem diferente dos outros que eu já apresentei aqui, mas é por um bom motivo.  A Casa do Céu é um dos meus livros prediletos da vida!

“Ana, mas sobre o que é o livro?”

A Casa do Céu conta a história da Amanda Lindhout, uma jornalista que foi sequestrada na Somália, em 2008. Ela passou 460 dias em cativeiro, para aquelas que têm dificuldade com contas (tipo eu), isso dá quase 1 ano e 4 meses. Bom, como ela é a autora do livro, acho que não será spoiler falar que ela sobreviveu ao sequestro. O livro é o relato dela sobre a experiência, além dela contar um pouco de como era a vida dela antes e depois do sequestro.

E aí, chega aquele momento em que você me pergunta:

“Ana, mas por que o livro é bom?”

A Casa do Céu já valeria só pelo relato da história. Ela conta como era o dia a dia no cativeiro, as estratégias que ela criou para sobreviver, além de todas as atrocidades que ela teve que enfrentar.  Amanda chegou a se converter ao islamismo, como forma de se manter viva.

Outro ponto que me conquistou foi o nome do livro. Casa do céu era o nome do “lugar” que ela visitava nas horas de mais desespero. Era a fuga na imaginação que ela encontrava para sobreviver psicologicamente as torturas e estupros que ela tinha que passar.  Hoje em dia, ela fundou uma organização sem fins lucrativos que apoia iniciativas de desenvolvimento, ajuda humanitária e educação na Somália e no Quênia. O nome da organização é Global Enrichment Foundation, quem quiser saber mais sobre o projeto, basta clicar aqui.

Além disso, através do relato dela, você consegue ter um pouco mais de noção da realidade enfrentada na Somália, do papel que as mulheres desempenham naquela cultura, das ideias defendidas pelos sequestradores e por aí vaí.

Para mim, a mensagem mais importante da Casa do Céu é que não importa o quão difícil seja alguma situação pela qual você está passando. Há algum caminho para mudarmos isso, para superarmos isso e para tirarmos algo de bom disso também. A mulher foi sequestrada, torturada e estuprada (além de muitas outras coisas) e mesmo assim conseguiu encontrar forças para lutar pela sua sobrevivência e depois disso criar um trabalho que a fizesse ajudar pessoas daquela região.

É claro que essa é uma história extremista e não é porque ela passou por uma situação tão difícil e superou, que a sua história tenha menos importância. A questão é que se ela conseguiu achar um jeito de tirar coisas boas dessa experiência, será que, se nos esforçarmos, nós também não conseguimos fazer isso em nossas vidas?

Como eu disse antes, esse é um dos meus livros prediletos da vida. E isso é em grande parte por causa da forma como a história é relatada e pela carga de sentimentos que eu consegui sentir na leitura. Em alguns momentos, era difícil continuar lendo, confesso. Mas o livro realmente vale a leitura.

E, você? Já leu esse livro? Tem indicação de algum outro que vale a leitura? Me conta!

[Vale a leitura] A Casa do Céu – Amanda Lindhout
Tags:             

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *